FICHA TÉCNICA DO ESPETÁCULO

Direção e dramaturgia:
Fernando Yamamoto

Elenco:
Caju Dantas, Diogo Spinelli, Giovanna Araújo, Paula Queiroz e Rodrigo Bico

Figurino e adereços:
Marcos Leonardo

Cenografia:
Fernando Yamamoto e Rafael Telles

Música:
Marco França, com colaboração de Franklyn Novaes, Maria Clara Gonzaga, Júlio Lima e Caio Padilha

Colaboração Dramatúrgica:
Camilla Custódio

Produção:
Talita Yohana

Coordenação do projeto de circulação:
Renata Kaiser

Oficineiros:
Diogo Spinelli, Fernando Yamamoto e Paula Queiroz

FICHA TÉCNICA DO ESPETÁCULO2024-04-03T14:55:10-03:00

TALITA YOHANA

Atua desde 2016 como produtora cultural, na cidade de Natal/RN e em 2021 lançou sua marca, TAYÓ Produções no mercado, onde realiza os serviços de produção executiva, produção de logística, assessoria administrativa, prestação de contas, e outros serviços ligados à produção geral.

Atualmente (2023) realiza a produção dos espetáculos Candeia do Grupo Estação de Teatro e Ubu: O que é bom tem que continuar! do grupo Clowns de Shakespeare, além de assumir a produção do Palhaço Piruá, do artista FilipeAnjo e do projeto CineCirco Potiguar.

De 2019 a 2022, trabalhou como secretária/produtora com as produtoras Casa de Zoé e Bobox Produções, onde participou da produção de diversos projetos, como a montagem e circulação do espetáculo Sinapse Darwin e apresentações e temporadas do espetáculo Meu Seridó.

A TAYÓ Produções também é parceira do artista Juão Nyn, com que realizou os projetos Reenontros Étnycos e Sarau Juventudes Indígenas: Velha Terra Nova, à convite das Bibliotecas Municipais de São Paulo. Atualmente, Talita e Juão encontram-se no processo de pré-produção do álbum VOZ, FUMAÇA DE CORPO, 1º álbum solo de Juão e selecionado pelo PROAC 2022.

TALITA YOHANA2024-04-03T14:16:38-03:00

RENATA KAISER

É atriz e produtora cultural há 30 anos.

Uma das fundadoras do grupo de teatro Clowns de Shakespeare(RN), tem a sua formação artística construída através das ações e projetos desenvolvidos no grupo. Participando de diversos processos criativos do grupo e atuando em espetáculos como: Acatacara: Uma peça ao avesso(2021), L.A.A.A.T.I.N.A (2021), CLÃ_DESTIN@ (2020), .de_en.con.tro/rn_ce (Ponto de Encontro) (2019), Tubo de Ensaio A: Saturação(2018), Tubo de Ensaio B: Essência(2018), “Nuestra Señora de Las Nuvens “(2014) direção de Fernando Yamamoto, “Hamlet – Um Relato Dramático Medieval”(2013) com direção de Marcio Aurélio, “Sua Incelença, Ricardo III”(2010) com direção de Gabriel Villela, “Farsa da Boa Preguiça”(2010) com direção de Cristina Streva – Grupo SerTão (PB) e Fernando Yamamoto (RN), “O Capitão e a Sereia”(2009) com direção de FernandoYamamoto , “O Casamento do Pequeno-burguês” (2006) com direção de Fernando Yamamoto e Eduardo Moreira, “Roda Chico” (2006) com direção de Marco França e Fernando Yamamoto, “Muito Barulho Por Quase Nada”(2003), com direção de Fernando Yamamoto e Eduardo Moreira, “Sonhos de uma Noite Só” (1999) com direção de Fernando Yamamoto, “Megera DoNada” (1998) com direção de Sávio Araújo, “Noite de Reis” (1994) com direção de Fernando Yamamoto, “Sonho de uma Noite de Verão” (1993) com direção de Fernando Yamamoto. Com os espetáculos participou dos principais festivais de teatro do país, bem como circulação por países como Portugal, Espanha, Chile, Equador e Uruguai.

Também coordenou diversos projetos no grupo como: “Um Filme sem Fim (2022), Boi Galado Vagamundo (2018 a 2020), Caçadoras de Histórias nas Escolas (2020), Festival O Mundo Inteiro é Um Palco (2013 à 2016), Ponto de Cultura Barracão Mambembe(2010 -2014), Projeto Teatro a Bordo(2010) , Projeto Fábulas na Escola(2008) entre outros. Ministra oficinas de iniciação teatral para adultos e crianças além de oficinas de Gestão e Produção para grupos de teatro. Desde 2016 atua junto aos Clowns no Laboratório da Cena Clowns de Shakespeare que é realizado todos os anos. No audiovisual participa do projeto “Destino Coletivo”(RN).

RENATA KAISER2024-04-03T14:15:27-03:00

RODRIGO BICO

Professor, ator e produtor cultural, Rodrigo Bico, natural da capital potiguar, é filho da classe trabalhadora, e se encantou pela arte do teatro e conheceu a militância política nos corredores das escolas pelas quais passou, estudante do sistema público de ensino, sempre colocou a arte no centro do debate, e procurou fazer política de um jeito diferente, com as artes visuais, da poesia ao teatro.

Estudou educação artística na UFRN, foi eleito vereador suplente de Natal em 2012, e em 2015 foi Diretor Geral da Fundação José Augusto. É um dos fundadores do Grupo Facetas, com o qual participou de diversos espetáculos como ator ou diretor, com destaque para O Bizarro Sonho de Steven, Ida ao Teatro, Sal, o Menino Mar e Ubu: o que é bom tem que continuar!, em parceria com os Clowns de Shakespeare e Asavessa.

RODRIGO BICO2024-04-03T14:13:33-03:00

PAULA QUEIROZ

Paula Queiroz é atriz, diretora de teatro e arte-educadora, e há 14 anos integra o Grupo de Teatro Clowns de Shakespeare.

É graduada em Artes Cênicas pelo IFCE e tem especialização em Arte Educação pela Fa7 (CE). Como atriz participou das peças Sua Incelença, Ricardo III – dirigida por Gabriel Villela; Muito Barulho por Quase Nada – dirigida por Fernando Yamamoto e Eduardo Moreira, Nuestra Senhora de Las Nuvens, ; .de_en.con.tr/ce.rn; Tubo de Ensaio A; Tubo de Ensaio B; CLÃ_DESTIN@ – Uma Viagem Cênico-cibertnética; L.A.A.A.T.I.N.A. – Legião de Aventureiras, Aventureires e Aventureiros Tenazes e Incansáveis pelas Narrativas ao Avesso; Acatacara; FRONTE[I]RA | FRACAS[S]O e Ubu: O que é bom tem que continuar! Com alguns desses trabalhos já circulou por quase todos os estados do país, através de festivais e projetos como Palco Giratório.

Já trabalhou com Maurice Durozier, Francesca Della Monica, Charo Francés, Maria Thais, Fernando Yamamoto, Marco França, Marcio Aurelio, Marcio Marciano, Mauricio Donadoni, etc. Como assistente de direção e diretora de atores, já dirigiu o grupo de Teatro El Galpón (Uruguai), o Grupo Asavessa de Teatro/RN, Boca de Cena/SE e Boyásha/ES. Seus trabalhos mais recentes como diretora são: “Lavínias” (trabalho realizado apenas com mulheres em 2019), Julieta Mais Romeu (Grupo Asavessa – 2019), Sonho de uma Noite de Verão (leitura dramática) e De(a)fiadas (curta-metragem); e como atriz são: Acatacara: uma peça ao avesso, Clã_Destin@ – uma viagem cênico-cibernética e L.A.A.A.T.I.N.A, obras virtuais realizadas durante a pandemia da COVID-19. Durante a pandemia realizou o projeto de lives Encenadoras em Diálogo.

É integrante da equipe de professores do Laboratório Internacional da Cena Clowns de Shakespeare; principal atividade pedagógica do grupo, que traz para Natal alunos de várias partes do Brasil e da América Latina. Também ministra oficinas de teatro voltadas para crianças e adultos, como Faz de Conta e Jogo e Cena, já tenho viajado e ministrado cursos por vários estados do Brasil.

PAULA QUEIROZ2024-04-03T15:31:27-03:00

GIOVANNA ARAÚJO

Atriz, bailarina e coreógrafa. Formada em Balé Clássico no Ballet Municipal de Natal, foi integrante das companhias de dança Acauã, Balé da cidade e Corpovivo.

É atriz do Grupo de Teatro Facetas, atuando também em espetáculos e musicais com outros grupos e diretores, é também atriz dubladora e ministra oficinas de dança contemporânea.

GIOVANNA ARAÚJO2024-04-03T14:11:20-03:00

DIOGO SPINELLI

Diogo Spinelli é integrante do Grupo de Teatro Clowns de Shakespeare (Natal/RN), no qual atua e dirige, e é cofundador e crítico do Farofa Crítica (Natal/RN), site potiguar dedicado à análise e crítica de espetáculos de teatro.

É Mestre em Artes pelo IA/UNESP (2016), sob orientação da Profa. Dra. Lúcia Romano, e Bacharel em Artes Cênicas, com habilitação em Direção Teatral, pela Universidade de São Paulo – ECA/USP (2009).

Pelos Clowns, coordenou a equipe de comunicação das três últimas edições do Festival O Mundo Inteiro É Um Palco, editou os números IV e V da Revista Balaio, dirigiu As caçadoras de histórias (2015) e integrou o elenco de Tubo de Ensaio A (2018), Tubo de Ensaio B (2018), Ponto de Encontro (2019), CLÃ_DESTIN@ (2020), L.A.A.A.T.I.N.A. (2021), Acatacara: uma peça ao avesso (2021), Fronte[i]ra | Fracas[s]o (2022) e Ubu: o que é bom tem que continuar! (2022) todos dirigidos por Fernando Yamamoto, com o qual coordena o núcleo de direção dos Laboratórios da Cena Clowns de Shakespeare.

Em 2018, atuou e dirigiu de forma independente a obra Instruções para abraçar o Ar, de Arístides Vargas, e foi professor substituto do Departamento de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Pelo Farofa Crítica já realizou a cobertura de grandes festivais como Trema! Festival (PE/2017), MITsp (SP/2018), Velha Joana (MS/2021), e Toni Cunha (SC/2022) e desde 2021 é coeditor da Revista Farofa Crítica, ao lado de Heloisa Sousa. Tem dois livros publicados: Contos Achados & Perdidos (2016), pela SESI-SP Editora, e Pequeno Livro dos Amores Particulares (2017), pela Fortunella Casa Editrice.

DIOGO SPINELLI2024-04-03T14:10:27-03:00

CAJU DANTAS

Licenciado em Teatro pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Ator, brincante de boi de reis, professor e pesquisador no campo das artes cênicas.

Integrante do Grupo Asavessa de Teatro (Natal-RN), nas funções de ator e produtor, em que participa do espetáculo “Julieta Mais Romeu”, obra que já apresentou em importantes festivais nacionais e regionais de arte e cultura: Mostra SESC Cariri de Culturas (CE), FETEAG – Festival de Teatro do Agreste (PE), II Tramas – Encontro latino-americano de Teatro Popular (RN) e Burburinho Festival de Artes (RN).

Atualmente, integra o elenco do espetáculo “UBU – o que é bom tem que continuar” uma parceria entre os grupos potiguares Asavessa, Clowns de Shakespeare e Facetas, Mutretas e Outras Histórias. Tem experiência na área de Teatro, com ênfase em Teatro de Rua, Processos de Criação, Produção e Teatro de Grupo.

CAJU DANTAS2024-04-03T14:08:51-03:00

FERNANDO YAMAMOTO

Fernando Yamamoto é diretor, professor, dramaturgo e pesquisador de teatro.

É um dos fundadores do Grupo Clowns de Shakespeare, pelo qual dirigiu vários espetáculos, como Ubu: o que é bom tem que continuar!, FRONTE[I]RA | FRACAS[S]O, Acatacara: uma peça ao avesso, L.A.A.A.T.I.N.A., CLÃ_DESTIN@, Nuestra Senhora de las Nuvens, O Capitão e a Sereia, Muito Barulho por Quase Nada, Roda Chico, Fábulas, etc. Dirigiu obras fora dos Clowns, como A Mulher Revoltada, (DF/RJ), Cavaleiros da Triste Figura (SE) e Y el resto es fútbol (Uruguai).

Prestou consultorias de encenação e dramaturgia em Credores (ES), Quebra-Quilos (PB), Gibi (TO), Medida por Medida (BA), Todo Avental (RN), Mar me Quer (BA), etc. Ministrou mais de 100 cursos em diversos estados (PB, MG, RR, CE, PA, AL, SP, TO, RJ, PE, RS, ES, etc.) além de Peru, Colômbia, Bolívia, Equador e Uruguai.

Desenvolveu a pesquisa Cartografia do Teatro de Grupo do Nordeste, é integrante do Conselho Consultivo da Rebento: Revista de artes do espetáculo (UNESP), atuou na gestão pública (2013-18) como Diretor do Departamento de Programas, Projetos e Eventos da SECULT/Natal. Foi coordenador e curador do Festival O Mundo Inteiro é um Palco (2013-2017), e é editor da Revista Balaio.

FERNANDO YAMAMOTO2024-04-03T14:05:51-03:00
Ir ao Topo